Manhê! Aprendi a programar! Bibliotecas

Para quem ainda não leu os primeiros artigos:

Bibliotecas

Quando estamos aprendendo a programar, uma das coisas que descobrimos é que a escolha de uma biblioteca pode agilizar o desenvolvimento, mas pode também causar alguns transtornos.

A escolha e a utilização de uma biblioteca pode parecer uma tarefa simples, mas muitas vezes é bem trabalhosa. Aprender sua Application Programming Interface (API), lidar com dependências, atualizações, falhas de segurança e por aí vai… Com isso em mente, colocando na balança, na maioria dos casos, a utilização de uma biblioteca ainda traz mais vantagens, principalmente quando não dominamos o problema resolvido por ela.

Veja como exemplo as bibliotecas que vamos utilizar neste artigo: não precisamos de fato saber como a manipulação da imagem é realizada. Iremos apenas utilizar uma biblioteca que fará toda a parte mais complicada para nós.

Gerenciando bibliotecas

Imagine um cenário onde temos várias bibliotecas sendo utilizadas. Agora pense no quanto seria difícil mantê-las atualizadas e manter todos os relacionamentos e conflitos que podem acontecer. Sem contar ainda o conflito com relação à versão da linguagem utilizada.

É… Se você pensar um pouquinho, já dá para notar que isso é um baita problema. Mas trago boas notícias. É um baita problema já resolvido.

Na maioria das linguagens de programação, já existem gerenciadores de pacotes/bibliotecas. Esse é o caso das linguagens que estamos utilizando.

Iremos usar os seguintes gerenciadores:

Em alguns computadores, os gerenciadores já podem vir pré-instalados. É o caso dos Macs e de algumas distribuições Linux. Verifique isso antes de instalar.

Se, a partir desse ponto, você quiser instalar somente um gerenciador, não tem problema. Os próximos exemplos serão mostrados sempre com todos os gerenciadores acima.

Para verificar se a instalação foi feita com sucesso, abra o terminal/prompt do seu computador - sim, é aquela tela preta com o cursor piscando - e digite:

Javascript

npm -v Saída: 3.10.6

PHP

composer -V Saída: Composer version 1.2.0 2016-07-19 01:28:52

Python

pip --version Saída: pip 1.5.4 from /usr/lib/python2.7/dist-packages (python 2.7)

Ruby

gem -v Saída: 2.6.6

Esses comandos são usados somente para mostrar qual é a versão do gerenciador instalado. Se as saídas forem similares às apresentadas, está tudo certo!

Manipulado imagens

Pensando em coisas que podem ser de fato úteis, vamos construir um programa para redimensionar imagens.

Agora, vamos criar 4 arquivos (redimensionar.js, redimensionar.php, redimensionar.py, redimensionar.rb) com os respectivos códigos. Você pode criá-los com um editor de texto simples, como o Bloco de Notas.

Antes de executar os arquivos, precisamos instalar as bibliotecas que serão utilizadas:

  • Javascript: npm install resize-img
  • PHP: composer require imagine/imagine (necessário ter a biblioteca Imagick ou GD instalada na máquina)
  • Python: pip install Pillow
  • Ruby: gem install mini_magick (necessário ter a biblioteca Imagick instalada na máquina)

Tenha paciência! Esses comandos podem demorar para ser executados, pois o download das bibliotecas será feito. Só assim conseguiremos utilizá-las. Na programação não existe mágica. O código sempre terá que estar em algum lugar para ser executado. Cada gerenciador irá armazenar o código em um lugar diferente. Consulte a documentação do gerenciador para localizar os arquivos caso tenha curiosidade.

Repare que, no início de cada arquivo, estamos importando (import/require) os códigos da biblioteca para poder utilizá-los. Dessa maneira, todas as funções, classes e métodos estarão disponíveis para serem chamados.

Uma boa biblioteca sempre terá uma documentação clara e atualizada. Ninguém quer ficar adivinhando como uma biblioteca funciona, por isso, é mais que necessário ter uma referência confiável da sua utilização.

Nos códigos abaixo, estamos fazendo exatamente a mesma coisa:

  1. Importando a bibiloteca
  2. Carregando a imagem
  3. Redimensionado a imagem para o tamanho de 120x120
  4. Salvando a imagem com um nome diferente

Javascript - redimensionar.js

const fs = require('fs');
const resizeImg = require('resize-img');

const imagem = fs.readFileSync('imagem.jpg');

resizeImg(imagem, {width: 120, height: 120}).then(buf => {
    fs.writeFileSync('imagem-120x120.jpg', buf);
});

Execução: node redimensionar.js

PHP - redimensionar.php

<?php
require 'vendor/autoload.php';

$imagem = new Imagine\Imagick\Imagine();

$imagem->open('imagem.jpg')
       ->resize(new Imagine\Image\Box(120, 120))
       ->save('image120x120.jpg');

Execução: php redimensionar.php

Python - redimensionar.py

import PIL
from PIL import Image

imagem = Image.open('imagem.jpg')
imagem = imagem.resize((120, 120), PIL.Image.ANTIALIAS)
imagem.save('imagem120x120.jpg')

Execução: python redimensionar.py

Ruby - redimensionar.rb

require 'mini_magick'

imagem = MiniMagick::Image.open("imagem.jpg")
imagem.resize "120x120"
imagem.write "imagem120x120.jpg"

Execução: ruby redimensionar.rb

Finalizando

Todos os códigos fazem referência à mesma imagem: imagem.jpg, que deve estar localizada na mesma pasta dos códigos. Isso quer dizer que nosso programa está limitado a redimensionar somente essa imagem. No artigo anterior, vimos como poderíamos passar parâmetros para nosso código. Então, fica aqui o desafio: fazer o nosso código funcionar de maneira dinâmica, passando por parâmetro a imagem que será redimensionada. Assim, poderemos redimensionar qualquer imagem passada.

Então é isso! Bom estudo e boas descobertas!

Published 20 August 2016